CONHEÇA O ROBÔ LAURA

O primeiro robô cognitivo gerenciador de risco do mundo.

#robolaura

Oi! Eu sou o primeiro robô cognitivo gerenciador de risco do mundo. Meu objetivo é otimizar o seu trabalho!

O Robô Laura foi desenvolvido usando tecnologia cognitiva, ou seja, ele é capaz de aprender. Seu maior diferencial é que ela analisa, entende e conversa diretamente com a área operacional de uma instituição, e assim, sabe de que forma pode auxiliar e facilitar o dia-a-dia dentro da corporação.

Encontrar falhas operacionais e informar as pessoas responsáveis a tempo pode poupar tempo, recursos e até vidas.

COMO FUNCIONA

O Robô Laura gerencia tarefas, projetos e processos. Validamos as atividades em tempo real, minimizando os erros operacionais e disponibilizando uma comunicação fluída entre todos os colaboradores da instituição.

Quer saber mais de sua funcionalidade?

fotos-de-fundo-01

É UM ROBÔ

É um Robô, pois diferente de um software ou sistema monolítico, o qual recebe inputs e ação do usuários para execução de tarefas, um robô possui microsserviços, pequenos softwares ou motores, agnósticos em execução permanente, autônomos entre si.

Os 263 motores ou microsserviços do #robolaura são análogos aos órgãos e sistemas do corpo humano, pois cada um executa uma atividade adjacente, com o fim de alcançar a meta da atividade principal.

No caso do ser humano, os propósitos de vida de cada pessoa. No caso do #robolaura, o propósito de cada uma das especialidades de Laura.

É COGNITIVO

É Cognitivo, pois é um robô que aprende. Baseado em Inteligência Artificial, o #robolaura utiliza basicamente duas tecnologias: Computação Cognitiva e Machine Learning.

A Computação Cognitiva dá ao computador uma capacidade de realizar conexões cognitivas, muito parecido com o ser humano.

Quando um ser humano vê pela primeira vez uma imagem de um objeto que desconhece é porque no cérebro dessa pessoa não há registro daquela imagem, e, nesse caso, a pessoa vai tentar descobrir do que se trata. Quando identifica, cria em seu cérebro uma categoria para inserir aquela imagem ou informação e o que fica armazenado no cérebro é um artefato cognitivo, utilizado para identificar qualquer outro objeto semelhante.

Da mesma forma, a computação cognitiva dá ao computador a capacidade de identificar os dados e categorizá-los, armazenando um artefato cognitivo.

GERENCIA RISCOS

A premissa básica do Risco é que toda organização tem por objetivo a geração de valor e todas as incertezas estão presentes em todas as atividades de qualquer organização. Por isso, o grande desafio dos administradores é determinar até que ponto se aceita as incertezas e como se evita que essas incertezas impactem negativamente o esforço da geração de valor.Incertezas representam riscos e oportunidades, com potencial para destruir ou agregar valor. O Gerenciamento de Riscos possibilita aos administradores tratar com eficácia as incertezas, bem como os ameaças e fraquezas daí advindas, a fim de ampliar as possibilidades de geração de valor.

O gerenciamento de riscos corporativos tem por finalidade estruturar o comportamento ao risco, condição em que se avalia o perfil de risco da organização, de cada processo, atividade ou tarefa, afim de compor estratégias para mitigar as possibilidades do risco, fortalecendo as decisões de identificação das ameaças e fraquezas, bem como as respostas aos riscos.

ESPECIALIDADES

Clique na especialidade para saber mais detalhes.

Laura Networks
Conheça o Sonho de Laura

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?